Rússia vai apoiar a criação do Estado palestino na ONU

Decisão complica esforços de EUA e Israel para impedir discussão da proposta na Assembleia-Geral

Gustavo Chacra, O Estado de S.Paulo

13 Setembro 2011 | 00h00

CORRESPONDENTE / NOVA YORK

Enquanto os EUA lutam contra o tempo para convencer os palestinos a desistir do pedido de reconhecimento do Estado durante a Assembleia-Geral da ONU, na semana que vem, a Rússia declarou que votará a favor da iniciativa da Autoridade Palestina. O apoio indica um isolamento cada vez maior de Israel e dos EUA na oposição à criação do Estado.

"Não estamos incentivando. Apenas apoiaremos o que for decidido por eles (palestinos)", afirmou o embaixador russo junto à ONU, Vitali Churkin.

Para conseguir ser um Estado-membro, os palestinos precisariam do apoio do Conselho de Segurança e da Assembleia-Geral, nesta ordem. No primeiro caso, está descartada a possibilidade de aprovação porque os EUA declararam na semana passada que usarão seu poder de veto.

A opção palestina seria conseguir o status de "Estado não membro" por meio de votação na assembleia, onde são necessários dois terços dos votos. Assim, os palestinos poderiam tentar processar Israel pela ocupação dos territórios no Tribunal Penal Internacional.

Além disso, a Autoridade Palestina conquistaria uma vitória simbólica, já que mostraria como os EUA não representam a opção da comunidade internacional. O Brasil, assim como mais de cem países, manifestou apoio ao reconhecimento. A União Europeia está dividida.

Em Gaza, o Hamas, que controla o território, distanciou-se do presidente Mahmoud Abbas, do Fatah, ao afirmar não ter sido consultado sobre a decisão de recorrer à ONU.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.