Rússia vê risco em corte ucraniano de recursos

O ministro de Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, disse nesta quarta-feira que a decisão da Ucrânia de congelar as transferências orçamentárias para território do leste do país, dominados pelos rebeldes, pode indicar a imimente realização de um ataque militar.

Estadão Conteúdo

19 de novembro de 2014 | 16h01

Autoridades ucranianas anunciaram no início deste mês que vão congelar o envio de US$ 2,6 bilhões para as áreas tomadas pelos rebeldes. A medida pode piorar ainda mais a já complicada situação econômica da região.

Em declarações feitas ao Parlamento, Lavrov disse suspeitar que, ao adotar tal medida, Kiev está "preparando o terreno para outra invasão, com o objetivo de resolver a questão pela força".

Nas últimas semanas, dezenas de caminhões blindados, artilharia e outras armas pesadas têm sido vistas de movimentando para as proximidades de áreas mantidas pelos rebeldes, alimentando os temores sobre a possível retomada das hostilidades na região. Apesar do cessar-fogo, civis e combatentes ainda morrem diariamente em decorrência de ataques.

Temendo a iminente intensificação das hostilidades, o presidente ucraniano Petro Poroshenko anunciou, no início do mês, o envio de tropas adicionais para o leste, com o objetivo de defender as cidades sob controle do governo.

No início desta semana, pesados disparos de artilharia danificaram uma estação de tratamento de água que abastece a maior parte de Donetsk, a maior cidade sob controle dos separatistas. O escritório do prefeito da cidade disse em comunicado nesta quarta-feira que a maioria dos bairros não têm água corrente. Fonte: Associated Press.

Mais conteúdo sobre:
RússiaUcrâniarecursosrebeldes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.