Rússia venderá mísseis ao Irã, apesar de sua atual crise

Apesar do agravamento da crise nuclear iraniana, a Rússia venderá mísseis antiaéreos Tor M-1 ao Irã, afirmou hoje o vice-primeiro-ministro e titular da Defesa russo, Serguei Ivanov."O contrato de venda desses sistemas não está, nem pode estar, vinculado ao problema da questão nuclear" do Irã, disse Ivanov à agência Interfax sobre os mísseis terra-ar Tor M-1, de curto alcance.O ministro da Defesa desmentiu informações de alguns meios de comunicação, de que a Rússia planeja vender, também, ao regime iraniano os modernos sistemas de mísseis antiaéreos S-300, muito mais potentes que os Tor M-1 e de alcance médio."Não correspondem à realidade as informações de que uma delegação militar de nosso país, supostamente, tenha realizado negociações sobre os sistemas S-300" com Teerã, ressaltou Ivanov. Por outra parte, Ivanov admitiu que "é muito possível" que o problema do programa nuclear do Irã seja transferido ao Conselho de Segurança da ONU para estudar possíveis sanções, como exigiram ontem os negociadores da União Européia e dos Estados Unidos.No mês passado, Ivanov já tinha afirmado que a Rússia cumprirá, "gostem ou não", o contrato para a venda ao Teerã por US$ 1 bilhão de 29 sistemas de mísseis antiaéreos Tor M-1, que permitiriam ao Irã se defender de uma eventual invasão.Naquela ocasião, Ivanov rejeitou a "retórica de ameaças" por parte dos EUA, que tinha expressado sua "radical oposição" à venda de armas ao Irã por considerá-lo "um país patrocinador do terrorismo", e a principal ameaça para a paz no Oriente Médio.Ivanov replicou então que "o contrato é totalmente legítimo, a Rússia não viola nenhuma normativa, porque, sobre o Irã, não pesam sanções internacionais" e porque os Tor são "sistemas exclusivamente defensivos" e seu fornecimento ao Irã não alterará o balanço de forças no Oriente Médio.Os Tor M-1 são dotados de oito foguetes terra-ar com um alcance de 1,5 a 12 quilômetros de distância, e entre 10 metros a 6 quilômetros de altura, enquanto os mísseis dos S-300 têm um alcance de até 200 quilômetros de distância, de baixas alturas até o "teto" máximo dos aviões de combate.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.