Rússia veta projeto de resolução sobre Geórgia na ONU

O governo russo rechaçou na noite desta terça-feira uma proposta de resolução no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU) que exigia a retirada imediata das suas tropas da Geórgia. A medida foi pedida pela Geórgia e apoiada pelos Estados Unidos e União Européia.Os embaixadores da Geórgia, Estados Unidos e Grã-Bretanha acusaram a Rússia, em reunião de emergência no Conselho de Segurança, de destruir a infra-estrutura da Geórgia e violar o território do país do Cáucaso, em uma ofensiva que continuou após o conflito original na província separatista da Ossétia do Sul.Ao apoiar a resolução, baseada no acordo de cessar-fogo proposto pela União Européia, eles criticaram a Rússia por manter tropas na Geórgia, apesar do país ter concordado no sábado com a proposta da França.O acordo de cessar-fogo de seis pontos demanda a renúncia ao uso da força, cessação imediata das hostilidades, acesso livre à ajuda humanitária, e retirada das forças às posições pré-conflito, embora também permita à Rússia implementar "medidas adicionais de segurança" não especificadas, de acordo com a ONU.A Rússia, que tem poder de veto no Conselho de Segurança, disse que não pode apoiar a proposta de resolução porque ela não contém todas as provisões do acordo de cessar-fogo mediado pela União Européia.O embaixador russo na ONU, Vitaly Churkin, disse que ele particularmente se opõe ao fato de que uma cláusula do cessar-fogo, justamente a que previa "medidas adicionais de segurança" ter sido retirada do rascunho de resolução apresentado hoje ao CS. Ele também diz que a exigência de retirada imediata das tropas russas da Geórgia não está no acordo de cessar-fogo proposto pela União Européia e aceito por ambas as partes."Hoje, neste recinto, é feita mais uma nova tentativa de virar as coisas e retratar o agressor como a vítima," disse Churkin. "Existe um manifesto uso da propaganda, em detrimento de um trabalho político sério e importante que precisa ser feito no Conselho de Segurança," disse o embaixador russo.A Geórgia alega que uma resolução do Conselho de Segurança da ONU é essencial para acabar de uma vez com o conflito."Infelizmente, a situação não mudou na Geórgia apesar do acordo de cessar-fogo assinado há alguns dias," disse o embaixador da Geórgia na ONU, Irakli Alasania, ao Conselho. "A Geórgia permanece ocupada por forças militares russas, que estão determinadas a devastar meu pais."Segundo ele, as tropas russas continuam a atacar a infra-estrutura civil e militar do país e também os cidadãos georgianos, em uma tentativa de "destruir a Geórgia como um Estado independente e soberano."O vice-embaixador dos EUA na ONU, Alejandro Wolff, disse que Washington apoiou o pedido para uma reunião de emergência do CS por causa da continuação das operações militares russas e da Rússia impedir a entrada de ajuda humanitária em regiões ocupadas da Geórgia.Bélgica, Itália e França expressaram preocupação com a contínua presença russa na Geórgia. O encontro acabou sem nenhuma resolução.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.