Russos afirmam que mísseis 'inteligentes' de Trump poderiam destruir evidências de ataque químico

Ministério de Relações Exteriores da Rússia reagiu às ameaças do presidente americano e questionou se o objetivo dos mísseis é destruir provas do suposto ataque químico

O Estado de S.Paulo

11 Abril 2018 | 09h37

BEIRUTE - O Ministério de Relações Exteriores da Rússia respondeu à declaração de Donald Trump pelo Twitter nesta quarta-feira, 11. Trump prometeu enviar mísseis "inteligentes" à Síria e os russos afirmaram que tais mísseis destruiriam as evidências do suposto ataque químico de sábado, que deixou 40 civis mortos.

+ Pelo Twitter, Trump diz que mísseis 'vão chegar' na Síria e alerta Rússia para 'se preparar'

A porta-voz do Ministério, Maria Zakharova, se manifestou pelo Facebook, perguntando se os investigadores especializados em armas químicas foram advertidos de que "todas as evidências" do ataque serão destruídas e ainda questionou se esse é o objetivo dos mísseis. "A ideia original é usar os mísseis inteligentes para varrer os traços para debaixo do tapete?", perguntou Zakharova. Tanto o governo sírio como os russos negam que o ataque tenha ocorrido. // AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.