Russos irão a Londres investigar morte de Litvinenko

A Procuradoria Geral russa afirmou hoje que investigadores planejam visitar Londres para conduzir inquérito sobre Alexander Litvinenko, que morreu no mês passado depois de ter sido contaminado com o elemento radioativo polônio-210. Não há confirmação de que suspeitos serão ouvidos.A polícia britânica disse que não tem detalhes da visita planejada por investigadores russos, mas autoridades do governo disseram que considerariam qualquer pedido vindo de Moscou para entrar em contato com exilados que têm garantia de asilo político.Andrei Nekrasov, um amigo de Litvinenko, disse que há preocupação entre imigrantes na capital britânica de que o Kremlin iria usar os inquéritos como um "pretexto para perseguir exilados em Londres."A noiva de Litvinenko, Marina, e o amigo Alex Goldfarb estavam preparados para encontrar oficiais de Moscou, mas na condição de que a polícia britânica primeiro testasse os investigadores em busca de traços do polônio, afirmou Goldfarb hoje.Autoridades de Moscou disseram neste sábado que equipes forenses investigaram lugares relacionados com o ex-agente em busca de pistas sobre o envenenamento. A Polícia alemã disse que traços de radiação foram encontrados em duas pessoas que moravam na região de Hamburgo que entraram em contato com LitvinenkoOficiais também testaram um avião da companhia aérea Germanwings, que foi usada pelo empresário russo Dmitry Kovtun, que encontrou Litvinenko em Londres no dia em que ele passou mal. A companhia disse que não foram encontrados traços do polônio-210 no avião usado pelo ex-agente russo.Segundo o jornal britânico Daily Telegraph, no Hotel Millenium em Mayfair - onde Litvinenko se encontrou com Kovtun e um grupo de amigos russos, quando pode ter sido contaminado - oficiais estavam testando um copo e uma lavadora de pratos em busca do elemento radioativo. Os investigadores disseram não poder comentar o relatório. Cerca de 200 pessoas que visitaram o bar do hotel no dia em que Litvinenko pode ter sido contaminado foram contatadas e se ofereceram para testes. Kovtun está sendo tratado em Moscou, também por envenenamento por radiação. A Polícia alemã disse que encontrou traços de radição em duas áreas de Hamburg ligadas a Kovtun: no apartamento de sua ex-mulher e na casa de sua atual sogra.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.