Saad Hariri adere à oposição no Líbano

Ex-premiê deixou o cargo em janeiro, após Hezbollah e aliados deixaram cargos no governo

Agência Estado

14 de fevereiro de 2011 | 15h28

BEIRUTE - O ex-primeiro-ministro do Líbano, Saad Hariri, anunciou nesta segunda-feira, 14, que está aderindo à oposição. Hariri fez o anúncio durante uma cerimônia que marcou o sexto aniversário do assassinato do seu pai, Rafik Hariri, morto num atentado feito por um caminhão-bomba em Beirute, em 2005.

 

Hariri era premiê até janeiro, quando os membros opositores de seu gabinete, o que inclui o Hezbollah, deixaram o governo, forçando sua saída. Também diexaram o governo os cristãos e drusos aliados ao grupo radical xiita.

 

O Tribunal Especial para o Líbano (STL, na sigla em inglês), com sede na Holanda, ainda está em fase de indiciamento dos assassinos de Rafik Hariri. Espera-se que o tribunal indicie membros do Hezbollah como autores do crime.

 

O Hezbollah e seus aliados deixaram o gabinete e provocaram o colapso do governo de Saad Hariri em protesto ao trabalho do tribunal. O Hezbollah, com o apoio da comunidade drusa e de parte dos cristãos, conseguiu eleger um novo primeiro-ministro para o Líbano, Najib Mikati. As informações são da Associated Press.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.