Saad Hariri forma governo de unidade nacional no Líbano

O primeiro-ministro do Líbano, Saad Hariri, formou hoje um governo de unidade nacional após mais de quatro meses de negociações com o bloco da oposição liderado pelo grupo xiita Hezbollah, anunciou a secretaria do gabinete. O novo gabinete, com 30 ministérios e secretarias de status ministerial, foi tornado público após um decreto assinado por Hariri e pelo presidente libanês Michel Suleiman. As informações são da "AFP".

AE, Agencia Estado

09 Novembro 2009 | 19h18

A partilha de poder deu 15 ministérios ao bloco de Hariri; 10 para a oposição, que tem apoio da Síria e do Irã; e 5 a Suleiman. A partilha significa que nenhum partido ou bloco terá poder de veto no novo governo e que Suleiman terá um papel de mediador nas disputas políticas.

O Hezbollah, que lutou uma devastadora guerra com Israel em 2006, terá dois ministérios no novo gabinete. Os mais importantes ministérios, da Defesa e do Interior e que na partilha ficam com o presidente, permanecem inalterados.

Hariri, filho do ex-premiê Rafik Hariri, assassinado em 2005, recebeu o convite para formar o gabinete após sua aliança, que tem o apoio dos Estados Unidos e da Arábia Saudita, vencer as eleições parlamentares em junho.

Mas seus esforços para formar um novo governo de unidade com a oposição ficaram paralisados por causa das disputas sobre a divisão de cargos e a escolha dos ministros. O impasse entre as duas partes começou a ceder no mês passado, em meio ao descongelamento das relações entre a Síria e a Arábia Saudita.

A Síria foi o poder hegemônico no Líbano durante cerca de 30 anos, até o assassinato de Rafiq Hariri, que era próximo à monarquia saudita. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.