Sabotagem paralisa fluxo de gás no México

Guerrilha assume autoria de 6 ataques simultâneos a gasodutos de estatal

AP E EFE, O Estadao de S.Paulo

07 de setembro de 2011 | 00h00

Cidade do México - Atentados contra os gasodutos da estatal Pemex no Estado de Vera Cruz obrigaram ontem o governo mexicano a organizar o deslocamento de mais de 21 mil pessoas de 5 comunidades e ativar um plano emergencial de abastecimento. Seis explosões ocorreram em diferentes pontos dos dutos, criando vários focos de incêndios. A estatal foi obrigada a interromper o fornecimento de gás para evitar que o fogo se espalhasse. Horas depois de a Pemex e o governo divulgarem um comunicado dizendo que as explosões foram resultado de um ataque, a guerrilha esquerdista Exército Popular Revolucionário (EPR) assumiu sua autoria. Há cerca de dois meses, o EPR reivindicou a responsabilidade de outros ataques similares contra a companhia, que levaram o governo a usar o Exército na proteção dos dutos.Segundo um funcionário do governo mexicano que não quis se identificar, também foi encontrada em uma zona pantanosa uma sétima bomba que não explodiu. Ninguém foi ferido diretamente pelas explosões, mas duas idosas tiveram enfartes por causa do susto provocado pelos estrondos. Em um comunicado, o governo mexicano condenou os atentados, e afirmou que as "instalações fundamentais" da Pemex no país receberam segurança reforçada.ACIDENTEPelo menos 34 pessoas morreram e mais de 150 ficaram feridas ontem na cidade de Monclova, norte do México, em um acidente envolvendo um caminhão com dinamite que bateu em outro veículo na madrugada de domingo para segunda-feira. O choque detonou pouco depois o material explosivo, causando um incêndio que destruiu mais de 60 carros. As chamas também atingiram 40 casas próximas à estrada. Entre os mortos estão três jornalistas que cobriam o acidente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.