Saddam acusa inspetores da ONU de espionagem

O presidente do Iraque, Saddam Hussein, acusou os inspetores da ONU de estarem engajados em ?trabalho de inteligência? em vez de procurar armas nucleares, químicas e biológicas que o Iraque negou estar escondendo.Os inspetores estavam interessados em colher nomes de cientistas iraquianos, fazendo perguntas que indicavam um ?propósito oculto? e juntando informações sobre instalações militares, disse Saddam em um discurso pela televisão no Dia do Exército do Iraque. ?Todas ou a maioria dessas atividades ?constituem puro trabalho de inteligência?, afirmou.Saddam declarou que seu país está ?pronto para a guerra? e que as ameaças norte-americanas de desarmar o Iraque à força são ?histéricas? e destinam-se a desviar a atenção dos problemas domésticos dos Estados Unidos e do fracasso de sua política externa.O chanceler britânico, Jack Straw, disse nesta segunda-feira que uma guerra contra o Iraque pode ser evitada e é menos provável do que dizem alguns analistas. Recentemente, a imprensa britânica citou um ministro de seu país, não identificado, que estimava em 40 pôr cento a possibilidade de um conflito armado."A situação muda dia a dia. É importante que as pessoas compreendam que a guerra não é inevitável", disse Straw à Rádio BBC. "Falou-se tanto em guerra nos jornais, sugeriu-se que a chance de haver guerra era de 100 por cento. É importante tentar corrigir essa impressão?, afirmou. Desde o começo da crise, Straw vem repetindo que o governo britânico prefere uma saída diplomática para o conflito.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.