Saddam boicota nova sessão de seu julgamento

Saddam Hussein e outros quatro acusados do massacre de mais de 140 xiitas se recusaram a comparecer à última sessão de seu julgamento nesta quarta-feira. Seus advogados de defesa boicotaram os procedimentos, exigindo a remoção do juiz responsável, Raouf Abdel-Rahman, que eles dizem estar tentando prejudicar o ex-líder iraquiano. O juiz continuou com o julgamento apontando advogados para os três acusados restantes. Primeiro, Abdel-Rahman fez uma sessão fechada de meia hora nesta quarta-feira, barrando a entrada da imprensa na corte. Ainda não foi divulgada a informação sobre a presença de Saddam na audiência. Após a sessão ser aberta ao público, Saddam e outros quatro acusados não estavam presentes. Abdel-Rahman se dirigiu aos outros três acusados restantes explicando que, devido ao fato de seus advogados terem largado os seus casos, a corte decidiu apontar outros defensores que estavam na sessão. Segundo o juiz, "se os advogados legais comparecerem às próximas sessões, poderão retomar seus lugares, sem nenhum problema".O magistrado foi indicado ao cargo no domingo, quando seu antecessor largou o caso devido as críticas que foram feitas sobre seu controle dos procedimentos.Agora o novo juiz enfrenta o problema criado pelas desistências dos defensores dos réus, substituídos por advogados indicados pela corte. Estes advogados já estão sendo criticados por serem muito "passivos". Na sessão do último domingo, ele se recusaram a interrogar as testemunhas.O time de defesa de Saddam acusa Abdel-Rahman, um curdo, de ter "problemas pessoais" com Saddam, pois o juiz nasceu na vila de Halabja que em 1988 foi alvo de um ataque com gás venenoso, que dizem ter sido ordenado por Saddam. Algo em torno de 5.000 curdos foram mortos nesse ataque, incluindo vários parentes do juiz.Falando à rede de televisão Al-Jazira, o advogado chefe de Saddam, Khaled al-Dulaimi, disse que o regime do ex-ditador condenou Abdel-Rahman à prisão perpétua em 1977, com isso tentando afirmar a dita parcialidade do juiz.A mídia árabe diz que Abdel-Rahman foi detido e torturado nos anos 80 pelos agentes de segurança de Saddam. O juiz ainda não atendeu aos repórteres para falar sobre o assunto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.