Saddam diz que EUA querem controlar petróleo do Oriente Médio

O presidente Saddam Hussein apresentou hoje sua explicação para a insistência dos Estados Unidos em retirá-lo do poder - porque o Iraque está impedindo Washington de controlar o petróleo do Oriente Médio."A América pensa que tem de controlar o mundo", teria ditoele a um enviado da Bielo-Rússia. "A América pensa que, secontrolar o petróleo do Oriente Médio, então ela irá controlar o mundo", disse Saddam, segundo a oficial Agência de Notícias Iraquiana.Os Estados Unidos, segundo Saddam, perceberam que não daria certo tentar controlar o mundo por meios militares, então decidiram controlar o petróleo do Oriente Médio que, disse ele, representa 65% das reservas mundiais."Destruindo o Iraque, a América pensa que poderá controlar o petróleo do Oriente Médio e impor o preço que quiser a clientes como França, China, Japão e outros países do mundo", raciocinou Saddam.E uma das razões para a continuidade das sanções impostas pela ONU ao Iraque desde sua invasão do Kuwait em 1990, continuou, é "evitar que países da antiga União Soviética cooperem economicamente com o Iraque".Saddam afirmou que, ao controlar o petróleo mundial e seuspreços, os Estados Unidos teriam meios para determinar ocrescimento da economia global."A Europa percebeu ultimamente esse fato, portanto, suaposição de apoio ao Iraque não é baseada em questõeshumanitárias ou legais mas, sim, em autodefesa de seu futuro, independência e liberdade de interesses", explicou Saddam."A batalha do Iraque não é mais nacional, é pelahumanidade..."Ação contra o Iraque desestabilizaria a região, diz RússiaEm Moscou, o ministro das Relações Exteriores da Rússia, Igor Ivanov, afirmou que uma ação militar dos EUA contra o Iraque desestabilizaria a região do Golfo Pérsico e o Oriente Médio, informa a agência russa Interfax. "Qualquer medida de força contra o Iraque não apenas complicaria o controle da crise referente ao Iraque ainda mais, como também faria piorar a situação no Golfo Pérsico e no Oriente Médio", disse Ivanov depois de reunir-se em Moscou com o ministro das Relações Exteriores do Iraque, Naji Sabri. As informações são da Associated Press, citada pela Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.