Saddam diz que prefere a morte ao exílio

O presidente do Iraque, Saddam Hussein, disse que prefere a morte a abandonar seu país e garantiu que não destruirá as riquezas naturais iraquianas, incendiando poços de petróleo. Numa entrevista à emissora norte-americana CBS, ele descartou a idéia de exilar-se no caso da eclosão de uma guerra."Morreremos aqui. Morreremos neste país e manteremos nossa honra, a honra necessária perante nosso povo", disse Saddam a Dan Rather, que o entrevistou. "Creio que qualquer um que ofereça a Saddam exílio em seu próprio país é certamente uma pessoa carente de moral", disse o presidente iraquiano, durante a entrevista de três horas.A página da CBS na Internet divulgou alguns trechos da entrevista antes de sua transmissão completa, prevista para a noite desta quarta-feira.Saddam Hussein disse ainda que não incendiará os poços de petróleo nem destruirá represas se o Iraque for invadido. Durante a Guerra do Golfo, em 1991, as forças iraquianas que invadiram o Kuwait incendiaram os poços de petróleo kuwaitianos antes de recuarem."O Iraque não queima suas riquezas nem destrói suas represas", disse Saddam. O presidente iraquiano aproveitou ainda para negar que seu país tenha algum vínculo com a rede extremista Al-Qaeda, liderada pelo milionário saudita no exílio Osama bin Laden.Numa passagem da entrevista Saddam negou também que seus mísseis Al-Samoud 2 excedam o limite de alcance de 150 quilômetros imposto pela Organização das Nações Unidas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.