Saddam e árabes consideram legítimos ataques suicidas

O presidente iraquiano, Saddam Hussein, que envia ajuda financeira às famílias dos camicases palestinos, qualificou os ataques suicidas de "meios legítimos" de defesa contra Israel. Idêntica foi a avaliação desse tipo de ataques expressada hoje por um funcionário do governo saudita. Durante uma reunião com militares e engenheiros na segunda-feira, Saddam disse que os ataques suicidas são "meios legítimos usados por um povo cuja terra tem sido ocupada", informou a imprensa estatal de Bagdá. O governo de Riad também pediu aos EUA esforços sentido de convencerem Israel a uma retirada imediata dos territórios palestinos recentemente ocupados, dizendo que o fracasso de Washington em conseguir isto minará a credibilidade dos EUA.Ahmed al-Tuwajri, membro do Conselho Consultivo Saudita, disse à Associated Press que enviou uma carta ao presidente George W. Bush e para o Congresso americano, condenando Washington por classificar os ataques suicidas palestinos como atos terroristas, enquanto defende a incursão militar ordenada pelo primeiro-ministro israelense Ariel Sharon à Cisjordânia.Em sua carta, al-Tuwajri diz que a atual política dos EUA "destruiu os nossos sonhos e os sonhos dos amantes da paz no mundo todo". O Conselho exerce as funções de um Parlamento e reflete a opinião do governo. Seus 120 membros são escolhidos pelo rei.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.