Saddam e assessores voltam ao tribunal

O ex-presidente iraquiano Saddam Hussein e sete altos funcionários de seu regime compareceram nesta terça-feira mais uma vez ao tribunal em que são julgados pela execução de 148 xiitas iraquianos em 1983.Durante a nova sessão, a 30ª desde o início do processo, em outubro passado, o presidente do tribunal, o juiz curdo Rauf Abderrahmán, deve ouvir novas testemunhas da defesa.Na audiência prestaram testemunho oito testemunhas a favor de Saddam Hussein. Entre elas, seu meio-irmão Barzan al-Tikriti, que era também chefe dos serviços de inteligência, e Awad al Bandar, ex-chefe do Tribunal Revolucionário (TR).As testemunhas disseram que a condenação a morte dos 148 xiitas pelo TR "foi justa e conforme à lei".Bandar lembrou que todos os 148 confessaram sua participação numa tentativa de assassinar Saddam, em 1982, na aldeia de Duyail, ao norte de Bagdá. Mas reconheceu que só um advogado defendeu todos eles, e que o julgamento durou apenas 16 dias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.