Saddam é internado no 17º dia de greve de fome

O ex-ditador do Iraque, Saddam Hussein, foi hospitalizado neste domingo, 17º dia da greve de fome lançada pelo antigo governante, deposto em 2003 por uma invasão comandada pelos Estados Unidos. O principal promotor do tribunal que julga Saddam por massacres cometidos durante seu governo, Jaafar al-Moussawi, disse ter visitado a prisão onde o ex-ditador e sete outros réus são mantidos e ouviu que a saúde de Saddam "é instável, por causa da greve de fome"."Nós o levamos a um hospital e ele está sendo alimentado por um tubo", disse o promotor, recusando-se a identificar qual hospital. Perguntado sobre o estado do ex-ditador após a internação, o promotor disse que "ainda não está estável".Saddam e três outros - supostamente, os também réus BarzanIbrahim, Taha Yassin Ramadan e Awad al-Bandaron - vêm recusando comida desde o dia 7 de julho, em protesto contra os procedimentos da Alta Corte iraquiana e para exigir mais segurança para os advogados de defesa. Três dos advogados que trabalham a favor dos acusados já foram mortos: a vítima mais recente foi Khamis al-Obeidi, assassinado em 21 de junho.Em carta ao tribunal, a defesa exigiu segurança especial para os advogados e suas famílias. A equipe de advogados também requereu um recesso de 45 dias para preparar as considerações finais e uma promessa de que o argumento final não teria duração limitada.O porta-voz do tribunal, Raid Juhi, disse que a defesa rejeitou uma oferta de um nível de segurança igual ao concedido aos juízes e promotores: o direto de morara na Zona Verde, um bairro de segurança máxima de Bagdá.Saddam e os demais réus são acusados pela repressão violenta contra os moradores xiitas da cidade de Dujail, após um atentado, em 1982, contra do ditador. Um novo julgamento de Saddam está marcado para começar em 21 de agosto, por uma onde de repressão lançada contra os curdos, nos anos 80.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.