Saddam Hussein completa uma semana de greve de fome

O ex-ditador iraquiano Saddam Hussein e três outros réus em seu julgamento estão em greve de fome há uma semana em protesto pela falta de segurança para seus advogados, informou o Exército dos Estados Unidos nesta quarta-feira.Advogados de Saddam e dos réus Barzan Ibrahim, Taha Hussein Ramadan e Awad al-Bandaron anunciaram um boicote aos procedimentos judiciais nesta semana até que suas exigências de maior segurança sejam atendidas, depois que um de seus colegas, Khamis al-Obeidi, foi assassinado no mês passado.Os quatro acusados estão em bom estado de saúde e recebem atendimento médico apropriado, afirma um comunicado emitido pelo Exército por e-mail. "Saddam participou de várias greves de fome durante seu período de detenção, mas sua saúde nunca esteve em perigo", disse o tenente-coronel Keir-Kevin Curry, porta-voz de operações de detenção militar do Exército americano.O juiz determinou um recesso de duas semanas no julgamento na terça-feira, e advertiu a defesa que caso os advogados não apareçam na próxima sessão, advogados apontados pela corte farão os argumentos finais.O porta-voz da corte, Raid Juhi, disse que a defesa rejeitou a oferta de segurança utilizada pelos juízes e promotores do caso: a residência na zona verde, o bairro fortificado de Bagdá, onde o tribunal fica localizado. Saddam e sete outros membros de seu regime são acusados pelo massacre de xiitas na cidade de Dujail, depois de uma tentativa de assassinato contra o líder iraquiano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.