Saddam não disse nada de útil, segundo oficial britânico

Saddam Hussein ainda não ofereceu qualquer informação útil aos agentes americanos, que resolveram suspender temporariamente o interrogatório do ex-ditador iraquiano para que ele se sinta mais "confortável", revelou um alto oficial britânico. Ele também expressou temor de que terroristas estrangeiros intensifiquem ações de desestabilização no sul do Iraque, onde se concentram as forças britânicas.O oficial, que exigiu anonimato, afirmou ainda que, embora o ex-ditador esteja se mantendo em silêncio, os documentos encontrados numa valise dele produziram resultados "além dos esperados". "Ele não tem falado, mas o que extraímos dos papéis encontrados com ele levou a novas operações, que trouxeram novas informações, que levaram a novas operações", afirmou. "Não significa que acabaram os problemas... mas as últimas semanas não têm sido tão más para as forças americanas", acrescentou.O oficial relatou que o administrador civil americano do Iraque, Paul Bremer, disse ao primeiro-ministro Tony Blair em Basra, na semana passada, que "Saddam não está oferecendo informação operacionalmente útil. Acho que elas (autoridades americanas) estão dando um tempo, tentando fazê-lo conversar generalidades para que se sinta confortável falando no cativeiro".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.