Saddam não se arrepende de invasão ao Kuwait

O ex-ditador do Iraque, Saddam Hussein, levado hoje diante de um juiz em um tribunal montado em algum ponto de Bagdá, disse que não se arrependia da invasão do Kuwait, em agosto de 1990, informaram militares norte-americanos. A invasão levou à Guerra do Golfo, em janeiro de 1991. "Eu fiz isso pelos iraquianos. Como você pode defender esses cachorros?", perguntou Saddam ao juiz, que o repreendeu pela linguagem usada.Saddam chegou ao tribunal em um ônibus blindado, escoltado por quatro veículos militares e uma ambulância. O ex-ditador tinha uma corrente ao redor da cintura, que foi retirada durante a sessão. As imagens da audiência já foram divulgadas. Esta foi a primeira vez que Saddam aparece, desde o di de sua prisão, em dezembro de 2003. Ao fim da audiência, Saddam foi retirado do local usando colete à prova de balas e levado em um helicóptero.O ex-presidente deve ser julgado por crimes de guerra e genocídio. O julgamento pode durar meses, ou talvez anos. Advogados do ex-presidente questionam a legitimidade do tribunal para julgá-lo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.