Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

Saddam será julgado em agosto por "genocídio" de curdos

O deposto presidente iraquiano Saddam Hussein e vários de seus ex-colaboradores serão julgados a partir de 21 de agosto por "genocídio" contra o povo curdo, informou hoje o Tribunal Penal Iraquiano.A nota oficial não diz quantos ex-colaboradores de Saddam serão julgados com ele, mas o juiz iraquiano Raed Yuhi havia falado em seis pessoas.As acusações se referem aos ataques com armas químicas contra o Curdistão iraquiano na "campanha de Al Anfal" em 1987 e 1988, nos quais foram assassinados ou desapareceram milhares de curdos.Segundo fontes judiciais, entre os réus estará Ali Hassan al Mayid, primo de Saddam. Responsável na época pelas políticas dedicadas à região, Mayid ficou conhecido como "Ali o Químico" por ordenar ataques com gases tóxicos a vários povoados.Só na cidade de Halabja, atacada com armas químicas em março de 1988, morreram cerca de 5 mil pessoas, entre elas idosos, mulheres e crianças.A operação "Al Anfal" foi lançada no fim da guerra contra o Irã, entre 1980 e 1988. Na época, os curdos eram freqüentemente acusados de colaborar com o inimigo.Segundo processoO processo de agosto será o segundo contra Saddam e outros altos funcionários do regime derrubado em abril de 2003.O mesmo tribunal está julgando o ex-ditador e sete de seus ex-assessores pela execução de 148 xiitas em 1983 na cidade de Dujail. As vítimas foram condenadas num julgamento sumaríssimo, após uma suposta tentativa de atentado contra Saddam no ano anterior.Na última sessão do processo, dia 19, o promotor pediu a pena de morte para Saddam, seu meio-irmão Barzan Hassan al-Tikriti, o ex-vice-presidente Taha Yassin Ramadan e o ex-chefe do Tribunal Revolucionário Awad Bandar.A equipe de defesa deve se pronunciar dia 10 de julho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.