Sai do ar site em que artista monitorado por Pequim mostrava intimidade

O governo chinês tirou ontem do ar o site que mostrava imagens do dissidente Ai Weiwei 24 horas por dia. Ele havia instalado quatro câmeras em seu estúdio, que transmitiam imagens da sua vida em tempo real. Ontem, no entanto, o artista publicou em seu perfil no Twitter que o site foi fechado pelo governo. "Há 4 minutos, as câmeras foram desconectadas. Bye-bye para todos os voyeurs", escreveu.

O Estado de S.Paulo

05 de abril de 2012 | 03h01

A iniciativa, de acordo com o artista, era para que a polícia pudesse acompanhar seus passos mais de perto. Ai Weiwei, que esteve preso de abril a junho de 2011, vinha sendo monitorado por várias câmeras colocadas nas ruas ao redor de sua casa. O dissidente pretendia ridicularizar a operação ao fornecer imagens mais pessoais, de dentro de sua casa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.