Saiba mais sobre a base militar dos Estados Unidos no Quirguistão

O Quirguistão é peça-chave no jogo estratégico centro-asiático. O país integra a principal rota de suprimentos para tropas da Otan em ação no Afeganistão por causa da base americana de Manas, na fronteira com o Casaquistão. A ameaça quirguiz de fechar a instalação preocupa estrategistas de Washington. A Rússia também tem uma base no Quirguistão.

08 de abril de 2010 | 20h04

 

 

- A Rússia, maior potência regional, vê a Manas como empecilho.

 

- O contrato de um ano de locação com o governo quirguiz expira em julho.

 

- A oposição, que agora controla a maioria do país, anteriormente era contra a base. Mas a líder Roza Otunbayeva já afirmou que não há planos para rever o contrato e que seu governo iria se encontrar com diplomatas americanos para conversações.

 

- A base começou a operar meses após os ataques de 11 de setembro e é ponto central de rotas aéreas de forças americanas e da Otan no Afeganistão.

 

- As missões operadas na base incluem reabastecimento, transporte e lançamentos aéreos, além de operações médicas e suporte geral para forças e cargas que entram e saem do Afeganistão.

 

- As principais aeronaves da base são tanques de reabastecimento aéreos da França, Espanha e Estados Unidos.

 

- Em 2008, a Manas abasteceu 11.500 aviões no Afeganistão, e transportou cerca de 170.000 soldados. Em março de 2010, cerca de 50.000 militares passaram pela base saindo ou entrando do Afeganistão.

 

- A base tem cerca de 1.100 militares, a maioria americanos, espanhóis e franceses. Cerca de 600 dos 750 empregados da base são quirguizes.

 

- Em 2008 a base contribuiu com US$ 64 milhões para a economia local. Funcionários da Manas ajudam entidades de caridade locais e um deles investiu cerca de US$ 200.000 em comunidades quirguizes.

 

- O clamor público contra a base começou quando um oficial americano que confessou ter atirado em um civil quirguiz em dezembro de 2006 voltou para os Estados Unidos sem ter sido julgado.

 

 

Com informações da Reuters

Tudo o que sabemos sobre:
Quirguistãobase militarManas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.