Saída de ministros abala governo e campanha de premiê australiana

O governo da primeira-ministra australiana, Julia Gillard, foi abalado neste sábado pela surpreendente renúncia de dois de seus mais importantes ministros, apenas quatro dias após ter chocado eleitores ao anunciar uma eleição nacional daqui a oito meses.

MORAG MACKINNON, Reuters

02 de fevereiro de 2013 | 11h11

A aliada Nicola Roxon pediu demissão como procuradora geral, enquanto Chris Evans, que era líder do Senado e terceiro na linha para primeiro-ministro, citou as exigências do trabalho e razões familiares para sua decisão.

A imprensa australiana descreveu as renúncias como uma grande derrota para o Partido Trabalhista, dizendo que as saídas dos membros do governo minaram a mensagem de estabilidade de Gillard e mostraram a falta de confiança na vitória em busca de um terceiro mandato no dia 14 de setembro.

Gillard deu uma entrevista coletiva em Camberra, na qual usou um tom sério e disse que já sabia das demissões há algum tempo.

Tudo o que sabemos sobre:
AUSTRALIARENUNCIAMINISTROS*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.