Saída dos EUA é chave para paz no Iraque, diz Khamenei

O líder supremo do Irã, aiatolá Ali Khamenei, disse nesta terça-feira que a questão-chave para se alcançar a paz no Iraque é a saída das tropas dos Estados Unidos do país. Num encontro com o presidente iraquiano, Jalal Talabani, Khamenei acusou os EUA de contratarem terroristas e antigos integrantes do regime de Saddam Hussein para desestabilizar o país, segundo a televisão estatal. "O primeiro passo para se resolver a instabilidade no Iraque é a retirada dos ocupantes desse país e a transferência das responsabilidades de segurança para o popular governo iraquiano", afirmou. Khamenei afirmou ao presidente iraquiano que o Irã fará todo o possível para usar sua influência junto aos muçulmanos xiitas do Iraque para conter a violência no país. "A principal razão para a atual situação no Iraque são as políticas dos EUA", teria dito Khamenei a Talabani, no segundo e último dia de sua visita ao Irã. "Esses (americanos) que conspiraram contra o Iraque, e cujos planos não se materializaram, pretendem desestabilizar a situação. Seus agentes em campo são terroristas, os excomungados e os antigos baathistas", acusou. Os "excomungados" seriam aparentemente os antigos funcionários públicos leais ao Partido Baath, do ex-presidente Saddam Hussein, que foram expulsos do governo pelas autoridades americanas no início da ocupação. Depois de sua chegada a Teerã na segunda-feira, Talabani disse que seu governo necessitava desesperadamente da ajuda do Irã para conter a escalada da violência no Iraque. Khamenei retrucou dizendo que o Irã considera seu dever ajudar a estabilizar o Iraque. "Se for pedido pelo governo iraquiano, o Irã não poupará esforços para contribuir para a estabilidade e a segurança no Iraque", garantiu. A administração Bush acusa o Irã de estar suprindo armas, dinheiro e oferecendo treinamento a milícias xiitas no Iraque. Teerã nega a acusação, dizendo que seus laços com os xiitas iraquianos são apenas políticos e religiosos. O Irã e o Iraque são países de maioria xiita.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.