Salazar é o maior português de todos os tempos, diz pesquisa

Uma enquete realizada em Portugal elegeu o "maior português de todos os tempos" neste domingo, 25. O ditador António de Oliveira Salazar, mentor do regime fascista que durou 48 anos (1926-1974) foi o escolhido de 41% das pessoas que ligaram para a Rádio e Televisão de Portugal (RTP), emissora pública e organizadora do concurso. O resultado foi anunciado a exatamente um mês dos 33º aniversário da Revolução dos Cravos e da restauração da democracia (25 de abril de 1974). No mesmo dia, o continente celebrava os 50 anos da União Européia, o mais bem sucedido projeto de integração entre nações. Projeto que foi rejeitado por Salazar, nos anos 50, mas ao qual se integrou Portugal em 1986. A enquete do concurso da RTP foi inspirada no modelo de programa criado pela BBC e que elegeu os Great Britons - os telespectadores vão ligando e fornecendo os nomes dos "grandes" da história do país. A emissora, depois, seleciona para uma rodada final de votação os 10 mais citados. Winston Churchill foi o "maior britânico". Programas para escolher "o maior" a partir de uma lista "dos 10 grandes" também já foram realizados na França (Charles de Gaulle), na Alemanha (Konrad Adenauer), EUA (Ronald Reagan) e em pelo menos mais uma dezena de outros países. Em Portugal, a lista dos 10 finalistas tinha, além de Salazar, Álvaro Cunhal (líder comunista), os poetas Fernando Pessoa e Luís de Camões, o primeiro rei e fundador da nacionalidade portuguesa, dom Afonso Henriques, o Infante D. Henrique, o navegador Vasco da Gama, o Marquês de Pombal, o rei dom João 2º e o diplomata Aristides Sousa Mendes, que ajudou a salvar milhares de judeus e outros perseguidos pelo nazismo durante a 2ª Guerra Mundial. O primeiro lugar de Salazar e segundo lugar de Cunhal, com 19,1% dos telefonemas, revelaram que, apesar de a emissora ter evitado a duplicidade de votos a partir do mesmo telefone, a enquete serviu mais para mobilizar os extremos políticos do que para definir quem realmente é "o maior". Sabendo que essa mobilização podia resultar na vitória de Salazar, a RTP providenciou uma pesquisa científica de opinião que destoou completamente da enquete: deu Afonso Henriques (21%), seguido de Camões (15,2%).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.