Saldo de jornalistas mortos em 2007 é de 171

Cento e setenta e um jornalistas forammortos por causa de seu trabalho em 2007, quase atingindo orecorde de 177 mortes de 2006, afirmou a FederaçãoInternacional dos Jornalistas num comunicado. No Brasil, dois jornalistas morreram: o fotógrafo freelanceRóbson Barbosa Bezerra e o jornalista Luiz Carlos Barbon Filho,do "Jornal do Porto" O Iraque foi o responsável por quase um terço das mortes.Lá, 65 jornalistas e profissionais da mídia morreram no anopassado, de acordo com a organização, que tem sede em Bruxelas. A Somália e o Paquistão também foram lugares perigosos paraos jornalistas trabalharem, segundo o grupo. Oito foram mortosna Somália e sete no Paquistão. Seis morreram no México, que sedestaca pelo perigo na cobertura do narcotráfico. "A violência contra jornalistas permanece em níveisextremamente altos pelo terceiro ano seguido," disse opresidente da FIJ, Jim Boumelha. "Como de costume, quem corremais risco são profissionais de imprensa que trabalham em seuspaíses natais." O total de 171 mortes inclui 134 assassinatos e mortesviolentas, além de 37 mortes em acidentes durante uma coberturajornalística ou no trajeto de ida ou de volta. REUTERS CS

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.