Presidência do Iêmen/Reuters
Presidência do Iêmen/Reuters

Saleh não viajará aos Estados Unidos para tratamento

Permanência do presidente no Iêmen é necessária para implementar acordo de transferência

Associated Press, Agência Estado

04 de janeiro de 2012 | 15h50

SANAA - Um funcionário do partido governante no Iêmen informou nesta quarta-feira, 4, que o ex-presidente Ali Abdullah Saleh não viajará aos Estados Unidos para receber tratamento médico e permanecerá no país árabe.

 

Segundo Sheik Mohammed al-Shaif, um poderoso chefe tribal e líder do Partido do Congresso do Povo, atualmente no poder, a decisão de Saleh foi tomada depois de a legenda pedir que o ex-presidente não deixasse o país. Ele disse que a presença de Saleh no Iêmen é necessária para a implementação do acordo de transferência de poder assinado anteriormente.

 

O acordo, redigido pelos países do Golfo e respaldado pelos Estados Unidos, garante a imunidade judicial a Saleh - considerado responsável pelas mortes dos manifestantes durante os protestos pelo fim de seu regime no Iêmen - em troca da entrega dos poderes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.