Saleh retornará 'em dias', diz vice-presidente do Iêmen

Oposição já havia pedido transferência total de poderes para Abdrabuh Mansur Hadi

Agência Estado e Efe

06 de junho de 2011 | 12h21

SANAA - O vice-presidente do Iêmen, Abdrabuh Mansour Hadi, disse nesta segunda-feira, 6, que o presidente Ali Abdullah Saleh está bem e vai retornar nos próximos dias da Arábia Saudita, onde passou por uma cirurgia, informou a agência oficial de notícias Saba.

 

Veja também:

especial A revolução que abalou o Oriente Médio

 

 

"Sua Excelência está se recuperando muito bem e vai voltar para casa nos próximos dias", afirmou o vice-presidente, segundo a Saba, durante uma reunião do partido governista, o Congresso Geral do Povo.

Saleh está se recuperando num hospital militar em Riad depois de ter ficado ferido num ataque à bomba contra a mesquita do complexo presidencial na capital, Sanaa. Apesar da afirmação, várias iemenitas celebram a saída de Saleh do país e esperam que ele não retorne ao Iêmen.

 

Transferência de poder

 

O anunciou de Mansour se produz pouco depois que a principal aliança opositora iemenita, Encontro Partilhado, pediu a transferência total do poder a ele.

 

Um dirigente do Encontro Partilhado disse à agência Efe que o objetivo desta proposta é garantir uma "saída pacífica" para a crise no país e que, se o pedido da oposição não for cumprido, os jovens revolucionários e opositores "têm outras alternativas".

 

Entre elas, citou a formação de um conselho transitório para dirigir o país.

 

Por ordem de Saleh, e de acordo com a constituição iemenita, o vice-presidente poderá ocupar a Presidência interina durante um período de 60 dias.

 

No domingo, o vice-presidente alcançou um acordo com o chefe tribal Sadeq al Ahmar, um dos principais líderes da oposição, para um cessar-fogo nos combates que tiveram início em Sana duas semanas antes.

 

O conflito armado entre as forças de Saleh e os milicianos tribais começou em 23 de maio passado, depois que o governante se recusou pela terceira vez assinar uma iniciativa apresentada pelos países do Golfo Pérsico para uma transferência pacífica do poder.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.