Salva-vidas voluntário evita suicídios em ponte

Chen Si já impediu 144 pessoas de jogar-se no Rio Yang-tsé em Nanquim

Los Angeles Times, O Estadao de S.Paulo

29 de abril de 2008 | 00h00

A mulher ainda estava com seu avental de cozinha quando Chen Si a avistou do outro lado da Ponte Nanquim, na cidade chinesa do mesmo nome. Enquanto Chen corria em sua direção, a mulher já subia no parapeito da ponte. "Quando eu a tirei dali, tudo o que ela fez foi chorar", disse Chen. Nos últimos quatro anos, Chen, de 39 anos, passou praticamente todos os fins de semana patrulhando a ponte sobre o Rio Yang-tsé. Chen é um salva-vidas voluntário da ponte da morte. Até agora, conseguiu salvar 144 vidas, pouco diante da epidemia de suicídios que vem tomando conta desta terra de mudanças, na qual a rede de segurança social da era comunista deu lugar ao stress da economia de mercado. Pelas estimativas oficiais, 280 mil chineses se suicidam a cada ano.Originário do interior, Chen decidiu ser voluntário depois de ver um vizinho idoso se suicidar porque estava cansado da família, que passava o tempo discutindo sobre quem devia cuidar dele. Chen sentiu culpa, pois talvez pudesse ajudá-lo. Sua estréia na Ponte de Nanquim ocorreu em 2004. Avistou um homem que tinha jogado seus sapatos no rio e estava pronto para pular. Era um camponês que tinha vindo à cidade vender sua colheita de trigo e acabou enganado pelo sócio. "Eu o agarrei pelo cinto e ele não revidou, apenas começou a chorar", disse Chen. "Numa época de crise, tudo que as pessoas precisam é de alguém disposto a estender-lhes a mão."Chen já viu mais de 50 pessoas se afogarem no rio. "Algumas simplesmente pararam o carro e saltaram de repente", disse. "A ponte tem 700 metros de comprimento. Não é possível resgatá-las. Eu costumava ficar desesperado, como se fosse minha culpa. Agora lembro das vidas que salvei e me sinto melhor."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.