Salvos últimos mineiros presos em mina na África do Sul

Apesar da complexidade do resgate, ninguém ficou ferido; trabalhadores pedem mais segurança

Associated Press,

04 de outubro de 2007 | 19h17

Os últimos dos 3.200 mineiros presos por mais de 24 horas nas profundezas de uma mina foram resgatados na noite desta quinta-feira, 4, pondo fim à maior operação de resgate da história da África do Sul, disseram autoridades. Alguns dos trabalhadores estavam presos a mais de 1,5 quilômetros de profundidade. Os últimos trabalhadores emergiram pouco depois das 21 horas (locais), segundo funcionários da Harmony Gold Mining Co. Ele ficaram presos depois que um cano de ar pressurizado explodiu, cortando a eletricidade do elevador principal.  Apesar da longa espera, apenas um dos trabalhadores tiveram que passar por tratamento médico, por desidratação. Segundo uma porta-voz da companhia, os últimos 45 mineiros retirados estavam exaustos, mas em boas condições de saúde.  O encontro entre os trabalhadores presos e os que esperavam do lado de fora da mina foi marcado por alegria e revolta. Muitos dos mineiros mostraram preocupação com os padrões de segurança no país, que é o maior produtor de ouro do mundo. "Nós quase morremos lá embaixo", disse um trabalhadores ao passar ao lado dos repórteres. "Eu prefiro perder (o emprego) a morrer na mina."

Tudo o que sabemos sobre:
África do Sulmineiros

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.