Samaras: fundo de privatização seguirá em mãos gregas

O fundo estatal de privatização da Grécia vai continuar nas mãos do país, afirmou o primeiro-ministro grego, Antonis Samaras, após relatos da imprensa sobre uma possível transferência das responsabilidades da agência para a Europa. A declaração foi dada em entrevista ao jornal Eleftherotypia.

AE-DJ, Agência Estado

01 de setembro de 2013 | 12h01

Na última semana a imprensa afirmou que os credores internacionais da Grécia vão pressionar o país a transferir a responsabilidade pela venda de ativos imobiliários estatais para uma holding europeia, em um esforço para acelerar a atrasada privatização necessária no país.

"Eu absolutamente nego a possibilidade de transferir o fundo para o exterior", disse o ministro de Finanças grego, Yannis Stournaras, ao jornal Ethnos, também neste domingo. "A exploração da propriedade pública na Grécia é realizada pelo fundo Taiped e pelo governo grego. Isso não vai mudar", afirmou.

A privatização de partes da economia grega é uma das exigências dos credores internacionais em troca de ajuda financeira à Grécia. O programa está bastante atrasado e Atenas recentemente revisou a estimativa para as vendas de ativos neste ano para 1,6 bilhão de euros (US$ 2,1 bilhões), de 2,6 bilhões de euros anteriormente. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
Gréciafundo de privatização

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.