Samoa, Kiribati e Tokelau, no Pacífico, já comemoram o Ano Novo

Em Samoa, país que na sexta-feira fez uma manobra para pular do dia 29 para o dia 31 de dezembro, seus 180 mil habitantes começaram a viver o Ano Novo às 8 horas (de Brasília)

Efe,

31 de dezembro de 2011 | 08h56

Os habitantes dos pequenos estados insulanos de Samoa e Kiribati, e do território neozelandês de Tokelau, situados no Pacífico Sul, foram os primeiros a dar às boas-vindas ao ano 2012.

 

Em Samoa, país que na sexta-feira fez uma manobra para pular do dia 29 para o dia 31 de dezembro sem passar pelo 30 de dezembro para chegar ao outro lado da linha imaginária que marca a mudança da data, seus 180 mil habitantes começaram a viver o Ano Novo às 8 horas (de Brasília). Em Ápia, a capital de Samoa, milhares de moradores e turistas despediram-se de 2011 após assistir durante o dia às celebrações organizadas para festejar a mudança que coloca o país entre os primeiros a receber o Ano Novo.

 

A 2,3 mil quilômetros ao nordeste de Ápia e a 3h de voo, 2012 também chegou para os cerca de 5 mil habitantes de Natal (Christmas e Kiritimati) e para o restante da população das ilhas do Estado de Kiribati. A meia-noite irrompeu o Ano Novo no território neozelandês de Tokelau, formado por um grupo de atóis que ocupam uma superfície de 10 quilômetros quadrados e que habitado por 1,4 mil pessoas, se uniu à iniciativa samoana.

 

Uma hora depois, às 9h (de Brasília), será a vez de Niue, as Ilhas Salomão, o reino de Tonga e Nova Zelândia, que se despedirá do ano de 2011, marcado pelo desastre causado pelo terremoto que em fevereiro que atingiu a cidade de Christchurch, onde 181 pessoas morreram. Na cidade de Auckland, a maior da Nova Zelândia, ocorrerá por causa do Ano Novo um espetáculo de fogos de artifício com cinco minutos de duração. Em Wellington, no entanto, a capital, as autoridades cancelaram as festividades por causa do mau tempo.

 

Na cidade australiana de Sydney, milhares de pessoas estarão reunidas no meio da tarde nos arredores do emblemático prédio da Opera House para celebrar ali a chegada do ano às 11h (de Brasília), com o tradicional espetáculo pirotécnico com sete toneladas de explosivos. As autoridades calculam que até 1,5 milhão de pessoas estarão nos píeres e ruas da cidade australiana para celebrar a chegada do Ano Novo e observar o céu iluminado de Sydney por 20 minutos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.