Jeff Swensen/Getty Images/AFP
Jeff Swensen/Getty Images/AFP

Sanders parabeniza Hillary, mas lamenta problemas na votação em Nova York

Senador democrata disse ter ficado 'muito preocupado' com a forma como ocorreu o processo de votação no Estado, em que cerca de 125 mil pessoas não puderam votar por erro nas listas

O Estado de S. Paulo

20 Abril 2016 | 12h32

NOVA YORK - O pré-candidato democrata à presidência dos Estados Unidos, Bernie Sanders, felicitou ainda na terça-feira, 19, sua rival Hillary Clinton pela vitória que ela obteve no Estado de Nova York na primárias democratas, mas lamentou os problemas ocorridos nos centros de votação durante a jornada eleitoral.

Sanders atendeu os veículos de imprensa no aeroporto de Burlington, em Vermont, Estado pelo que é senador e onde vive, após retornar de um comício na Pensilvânia, Estado onde ocorrerão prévias na próxima semana.

"Parabenizo à secretária (Hillary) Clinton por sua vitória. Na semana que vem concorreremos em Pensilvânia, Maryland, Connecticut, Rhode Island e Delaware e esperamos vencer em vários desses Estados", disse o veterano senador, com a mira apontada para os cinco Estados em que ocorrerão eleições primárias na próxima terça-feira.

"No entanto, devo dizer que me preocupa muito a forma como ocorreu o processo de votação no Estado de Nova York. Não sou o único que está preocupado. A autoridade eleitoral de Nova York falou hoje sobre irregularidades nas votações e sobre situações de caos nos colégios eleitorais", disse Sanders.

Aproximadamente 125 mil eleitores do distrito de Brooklyn, precisamente o de origem do senador, tiveram hoje problemas para emitir seu voto por erros nas listas, informou o "controlador" eleitoral de Nova York, Scott M. Stringer.

Em comunicado, Stringer confirmou que 125 mil eleitores democratas do Brooklyn foram eliminados do censo realizado entre novembro de 2015 e o atual mês de abril sem que essa ação fosse explicada "adequadamente", por isso estes não puderam exercer seu direito ao voto.

Além deste incidente, Sanders também lamentou que "em um Estado tão grande como Nova York, quase 30% dos eleitores, cerca de 3 milhões de nova-iorquinos, não puderam votar porque estavam registrados como independentes. Isso não faz nenhum sentido".

As regras internas do Partido Democrata no Estado de Nova York estabelecem que apenas os eleitores registrados previamente como democratas podem participar do processo de primárias, por isso os republicanos e aqueles que estão registrados como independentes, entre os quais Sanders tem bastante apoio, ficam à margem do processo. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.