Santos promete se esforçar pela paz na Colômbia

O presidente colombiano, Juan Manuel Santos, realizou discurso de posse do seu segundo mandato nesta quinta-feira e prometeu dobrar seus esforços para dar fim à guerra de quase meio século contra as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). Santos, um economista de 62 anos, derrotou por uma margem estreita seu concorrente e agora começa mais um mandato de quatro anos.

Estadão Conteúdo

07 de agosto de 2014 | 20h33

"Eu vou usar todas as minhas energias para cumprir essa missão pela paz", afirmou o presidente em seu discurso de 45 minutos, com um broche no formato de uma pomba branca na lapela. Analistas concordam que as negociações retomadas em 2012, em Cuba, oferecem a melhor chance em décadas para que a Colômbia chegue a um acordo e acabe com o conflito, que matou mais de 200 mil pessoas, a maioria delas civis.

Santos, no entanto, não detalhou em seu discurso inaugural nenhuma iniciativa ou sugestão para contornar os problemas que devem aparecer nos estágios finais da negociação. Em vez disso, ele alertou que o diálogo pode ficar comprometido se os membros das Farc continuarem a realizar ataques como os que ocorreram nas últimas semanas.

"A paciência da Colômbia e da comunidade internacional não é infinita", afirmou Santos. O discurso inaugural foi assistido por chefes de Estado de toda a América Latina e pelo ex-rei Juan Carlos da Espanha.

O ex-presidente da Colômbia, Álvaro Uribe, que ajudou a eleger Santos há quatro anos, não foi à cerimônia para protestar contra o que considerou um abuso de poder por parte de Santos para ser reeleito. O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, também deveria comparecer, mas cancelou a viagem no último minuto. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
ColômbiaeleiçõesSantos

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.