Santos propõe votar acordo de paz com Farc em dia de eleição

Consulta para referendar pacto com a guerrilha ocorreria em 2014, na data de disputa à presidência ou ao Parlamento

BOGOTÁ, AP e EFE - O Estado de S.Paulo

23 de agosto de 2013 | 02h12

BOGOTÁ - O presidente colombiano, Juan Manuel Santos, apresentou ontem ao Parlamento de seu país um projeto de lei que, se aprovado, instituirá a organização de uma consulta popular para referendar um eventual acordo de paz que as autoridades de Bogotá e as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia produzam a partir das negociações atualmente em andamento.

O plebiscito ocorreria no mesmo dia das próximas eleições parlamentares ou presidenciais, marcadas respectivamente para 9 de março e 25 de maio de 2014. De acordo com um comunicado oficial emitido pelo presidente colombiano, a nova legislação pretende "que os acordos finais para pôr fim ao conflito possam ser apresentados (para consulta popular) em um dia que coincida com eleições normais".

"O processo de paz avança, as conversações em Havana avança e temos a responsabilidade, a obrigação, de prever qualquer instância que seja necessária se os acordos forem formalizados, para que seja o povo colombiano que tenha a última palavra", afirmou Santos no texto.

"Se não chegarmos a nenhum acordo, não acontece absolutamente nada, não se aplica essa possibilidade. Mas se chegarmos a um acordo daqui até o fim do ano, como todos queremos, e não tivermos a possibilidade de referendo, aí sim, seria um ato de imensa irresponsabilidade não ter previsto essa possibilidade."

Depois de concordar com os termos de um acordo agrário na primeira fase das negociações que conduzem em Cuba, as Farc e Bogotá tratam atualmente da inclusão da guerrilha na política colombiana. / AFP e EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.