Santos quer diálogo rápido

O novo processo de paz entre as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia e o governo de Bogotá foi anunciado no fim de agosto. Dias depois de confirmar o reinício do diálogo, o presidente colombiano, Juan Manuel Santos, viu sua aprovação - que vinha caindo - se elevar em 3 pontos porcentuais, chegando a 51%. O líder afirmou que as negociações deverão durar "meses, não anos". "As operações militares (do Exército colombiano) continuarão com a mesma ou maior intensidade", disse, explicando que o conflito não cessa durante o processo - que não prevê anistiar crimes de guerra ou contra a humanidade de ambos os lados. Santos nomeou o ex-vice-presidente colombiano Humberto de la Calle seu negociador-chefe.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.