AFP PHOTO / GUILLERMO LEGARIA
AFP PHOTO / GUILLERMO LEGARIA

Santos viajará aos EUA para fazer exames médicos

Presidente da Colômbia quer descartar a possibilidade de que o câncer de próstata, do qual foi operado em 2012, tenha voltado

O Estado de S.Paulo

15 de novembro de 2016 | 14h26

BOGOTÁ - O presidente da Colômbia, Juan Manuel Santos, confirmou que viajará na quarta-feira aos EUA para se submeter a exames médicos e descartar uma possível recaída de um câncer de próstata do qual foi operado em 2012.

"Viajarei amanhã, quarta-feira, aos EUA. O exame será realizado na quinta-feira, e estarei de volta ao país na sexta", disse Santos à imprensa na Fundação Santa Fé de Bogotá, onde habitualmente realiza exames.

O presidente colombiano acrescentou que os resultados dos exames pelos quais passou e que mostraram algumas alterações o pegou de surpresa. "Esta notícia pegou de surpresa minha família e a mim. Mantenho minha confiança de que os resultados destes novos exames serão positivos", acrescentou.

Santos disse também que pediu ao diretor da Fundação Santa Fé, Adolfo Llinás, "para que, quando termine essa etapa de diagnóstico, (o resultado) seja informado ao país".

Poucos minutos antes, o médico leu um comunicado no qual disse que, depois de o presidente passar por um exame de rotina, "foi detectado um aumento do antígeno prostático". "Foi realizado um segundo exame de verificação, que confirmou tal aumento", relatou.

Llinás acrescentou que "diante desta novidade da evolução clínica, foi recomendado ao presidente Santos realizar o mais breve possível um estudo complementar", que será feito no Centro de Oncologia do Hospital Johns Hopkins, em Baltimore (EUA).

"Como de costume, pedi autorização ao Congresso para viajar e cumprir com esta recomendação", afirmou o presidente. Em outubro de 2012, Santos foi submetido com sucesso a uma cirurgia para extrair um tumor na próstata, e poucos dias depois o governante disse que seu estado de saúde era ótimo.

O líder colombiano disse também que aproveitará a viagem aos EUA para participar de um jantar em homenagem ao vice-presidente do país, Joe Biden, que segundo ele "foi um grande aliado da Colômbia".

Além disso, Santos vai se reunir com senadores democratas e republicanos, em compromisso, como explicou, com a "tradicional política bipartidária colombiana, a fim de lhes informar sobre o novo acordo de paz e discutir com eles os passos a serem seguidos com o plano de paz e o pós-conflito", especificou. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.