São 16 os mortos em dois atentados em Israel

Homens-bomba palestinos agiram quase simultaneamente no ataque a dois ônibus no sul de Israel, matando 16 pessoas e ferindo mais de 80, no ataque mais letal contar Israel em quase um ano. A polícia esclareceu que os 16 mortos não incluem os dois homens-bomba. O governo israelense vinha argumentando que, ao longo desses quase seis meses, ações extremistas estavam sendo evitadas graças à barreira em construção para isolar a na Cisjordânia, de amplas operações de busca e apreensão nos territórios palestinos e de uma ampla rede de informantes.Autoridades israelenses insistem agora que os atentados provam a necessidade da barreira. O trecho entre a cidade palestina de Hebron e Beersheba ainda não foi construído. "Nós deveríamos agora acelerar e finalizar a construção da barreira", disse Avi Pazner, porta-voz do governo israelense, em conversa com a Associated Press.O governo americano desqualificou as palavras do líder palestino Yasser Arafat, que condenou os atentados. Richard Boucher, porta-voz da chancelaria dos Estados Unidos, disse que ações, e não palavras, são necessárias. Em Bruxelas, a União Européia condenou os atentados e apelou pelo fim da violência no Oriente Médio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.