São 257 os mortos em terremoto na China

Um terremoto de 6,8 graus na escala Richter causou a morte de pelo menos 257 pessoas e feriu outras mil na manhã desta segunda-feira na região de Xinjiang, extremo oeste da China. Centenas de casas de três distritos de Bachu, a 40 quilômetros da cidade de Jiashi, foram destruídas. "Entre os mortos há idosos e jovens, inclusive alguns bebês", disse um funcionário do governo local, que se identificou como Mimati."Os sobreviventes e os feridos escavavam os escombros com as mãos ensangüentadas e gritavam o nome de conhecidos", relatou.Pelo menos 10 estudantes morreram quando o prédio da escola secundária onde estudavam veio abaixo em Chongku Qiake, o povoado mais afetado, disse Maimai Qiming, funcionário do governo local.Uma escola primária também desabou e dois alunos morreram, revelou Wu, um funcionário da defesa civil.O gabinete chinês autorizou a liberação de fundos de emergência, informou a televisão estatal. O secretário-geral do Partido Comunista, Hu Jintao, e outros líderes ordenaram a funcionários locais que assegurem água, alimentos e abrigo para os sobreviventes.Pelo fato de muitas casas terem desabado, muitos sobreviventes terão de passar a noite ao relento. Nessa época do ano, as temperaturas atingem com freqüência -10ºC durante a madrugada.Alguns equipamentos pesados já chegaram à região do terremoto. No entanto, a maioria dos socorristas continua trabalhando com as mãos.O Serviço Geológico de Golden, no Colorado (Estados Unidos), detectou o epicentro 33 quilômetros abaixo da superfície. O terremoto começou às 10h03 locais, (0h03 em Brasília).A região mais afetada fica perto da fronteira entre a China e o Quirguistão, a cerca de 3.000 quilômetros de Pequim. Aproximadamente 360.000 pessoas vivem na área afetada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.