Pat Sullivan/AP
Pat Sullivan/AP

Sarah Palin desiste de pré-candidatura às presidência dos Estados Unidos

Republicana afirma que sua família é prioridade e que pode ajudar companheiros em outro posto

Reuters

05 de outubro de 2011 | 20h33

WASHINGTON - A republicana Sarah Palin anunciou nesta quarta-feira, 5, que não tentará ser a candidata republicana à presidência dos Estados Unidos em 2012, colocando um fim a meses de especulação sobre parte das disputas entre os possíveis nomeados do partido de oposição ao presidente Barack Obama.

 

A republicana, ex-governadora do Alasca, deu poucos sinais de que poderia disputar a candidatura do partido nos últimos meses, mas deixou tudo mais claro em uma carta oficial aos seus eleitores que foi lida em um programa de rádio. "Depois de muito pensar, decidi que não vou tentar a candidatura", disse.

 

Sarah Palin viu sua imagem dar espaço a outras figuras americanas desde que ganhou grandes dimensões políticas, quando foi candidata a vice-presidente pela chapa de John McCain em 2008. Desde então, ela ganhou proeminência como uma das líderes a ala conservadora Tea Party, mas deu lugar a novos nomes.

 

Se optasse por disputar o posto republicano, teria pela frente adversários como Mitt Romney, Rick Perry e Herman Cain, todos políticos com mais apoio partidário e eleitoral que ela. A única mulher que ainda pode ser a candidata do partido é a deputada Michele Bachmann, popular nos mesmos setores que Sarah.

 

Na carta, Sarah disse que sua família é "prioridade" e que a decisão de concorrer ou não estava ligada ao que ela conseguiu nas eleições legislativas do ano passado. "Acredito que, neste momento, posso ser mais eficaz em um papel decisivo para ajudar a eleger os colegas para outros cargos - de governadores a deputados e até presidentes", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.