Sargento dos EUA matou cinco civis no Iraque, diz relatório

O chefe de uma unidade de marines americanos matou cinco civis iraquianos na localidade de Haditha, segundo um relatório publicado neste sábado pelo jornal The Washington Post.O relatório, elaborado pelo Serviço Naval de Investigação Criminal, reúne relatos de várias testemunhas que presenciaram as mortes, ocorridas em novembro de 2005, e que asseguraram que as vítimas estavam desarmadas e não tinham mostrado resistência.Segundo o jornal, os marines pararam um táxi branco no qual os cinco iraquianos viajavam após ocorrer uma explosão na estrada pela qual a patrulha se deslocava. O ataque matou um soldado americano e outros dois ficaram feridos.O chefe da unidade, o sargento Frank Wuterich, ordenou que os cinco descessem do carro e atirou neles, um por um, de acordo com o relatório, que acrescenta que outro marine voltou a atirar nas vítimas quando já estavam caídas no chão."Nem tentaram fugir", assegurou um soldado iraquiano que acompanhava os marines e que admitiu que chegou a ter medo dos americanos porque "se comportavam como loucos".Pouco depois do incidente, os marines fizeram uma batida nas casas da região e atiraram de forma indiscriminada contra seus moradores, em uma operação na qual 24 civis iraquianos morreram, entre eles mulheres e crianças.O caso ainda está sendo investigado nos Estados Unidos, onde quatro dos militares envolvidos foram acusados de assassinato, enquanto outros quatro são acusados de não denunciar o incidente, não investigá-lo, dar depoimentos falsos ou por obstrução à Justiça.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.