Sarkozy analisa reforma ministerial francesa

Após demissão de ministro derrotado nas eleições, governo nomeie novos secretários

Agencia Estado

18 Junho 2007 | 14h24

Menos de um mês depois de sua posse, o presidente da França, Nicolas Sarkozy, analisava nesta segunda-feira, 18, a possibilidade de promover uma reforma ministerial depois da derrota eleitoral de um de seus principais ministros nas eleições parlamentares de domingo, 18.No pleito, o campo conservador de Sarkozy obteve uma maioria confortável, mas não conseguiu a maioria arrasadora prevista pelos institutos de pesquisa antes da votação.Numa reunião realizada nesta segunda, Sarkozy confirmou François Fillon no posto de primeiro-ministro. A confirmação é mera formalidade. Ao longo desta semana, porém, espera-se que o presidente nomeie mais dez secretários, inclusive alguns integrantes da oposição de esquerda e de outras vertentes, para expor "a diversidade da França".Espera-se que Sarkozy mexa no gabinete para substituir o ministro da Ecologia e Desenvolvimento Sustentável, Alain Juppé, que não conseguiu se reeleger. Mas pelo menos um integrante do governo já questionava se o presidente se ateria mesmo à promessa de excluir qualquer ministro que perdesse sua vaga no Parlamento.Apesar dos inesperados ganhos obtidos pela esquerda, Sarkozy, presidente desde 16 de maio, emergiu das eleições parlamentares como um líder especialmente forte.O governo, o Parlamento e as principais instituições do Estado estão atualmente sob controle de partidos conservadores. Esta é a primeira vez desde 1958 que uma maioria é substituída por outra da mesma corrente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.