Sarkozy chama Assad de assassino e pede seu julgamento no TPI

Presidente francês reitera necessidade da criação de corredores humanitários na Síria

Associated Press

14 de março de 2012 | 08h39

PARIS - O presidente da Síria, Bashar Assad, foi chamado de "assassino" nesta quarta-feira, 14, por seu homônimo francês, Nicolas Sarkozy, que ainda pediu que i líder sírio seja levado ao Tribunal Penal Internacional (TPI) e que sejam criados corredores humanitários no país árabe.

 

Veja também:
especialMAPA: 
A revolta que abalou o Oriente Médio
mais imagens OLHAR SOBRE O MUNDO: Imagens da revolução
tabela ESPECIAL: Um ano de Primavera Árabe 

 

Em declarações à rádio Europe 1, Sarkozy disse que Assad "está se comportando como um assassino" e reiterou a necessidade da criação de corredores humanitários na Síria, embora para isso seja necessário "superar o veto de Rússia e China", parceiros de Damasco, no Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU).

 

O presidente francês ainda indicou que o Exército de seu país "não pode interferir de maneira alguma" na Síria sem o respaldo da ONU. A França, que teve um papel importante na colonização da Síria, foi uma peça chave na incursão aérea sobre a Líbia que ajudou na derrota do regime do ditador Muamar Kadafi no ano passado.

 

A revolta contra o regime de Assad na Síria começou em março de 2011 e, segundo a ONU, já deixou mais de 7,5 mil civis mortos. O governo de Damasco culpa "grupos armados terroristas" pelo caos instaurado no país. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.