Sarkozy condena 'santuários' terroristas no Paquistão

O presidente da França, Nicolas Sarkozy, disse hoje que é "inaceitável" que as redes terroristas possam encontrar "santuários" no Paquistão. A declaração foi dada durante uma cerimônia para lembrar as vítimas dos ataques ocorridos em Mumbai, na Índia, em 2008.

AE, Agência Estado

07 de dezembro de 2010 | 12h30

Sarkozy disse que o Taleban e a Al-Qaeda encontraram áreas onde atuam livremente na fronteira do Paquistão. "É inaceitável que atos terroristas sejam planejados e realizados por grupos terroristas no Paquistão", afirmou Sarkozy em Mumbai, no último dia de uma viagem de quatro dias à Índia. "Eu convoco as autoridades paquistanesas para aumentarem seus esforços e mostrar que elas estão determinadas a combater esses criminosos."

O cerco de extremistas em Mumbai terminou com 166 mortos em novembro de 2008, incluindo dois cidadãos franceses. Mais de 300 pessoas ficaram feridas. O ataque foi atribuído ao grupo Lashkar-e-Taiba, com o suposto apoio de militares paquistaneses. Sete suspeitos já foram julgados no Paquistão, entre eles o suposto mentor do ataque, Zakiur Rehman Lakhvi, mas ninguém foi condenado. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.