Sarkozy condena WikiLeaks e vê 'irresponsabilidade'

O presidente da França, Nicolas Sarkozy, condenou hoje a divulgação de documentos diplomáticos dos Estados Unidos feita pelo site WikiLeaks. Por meio de um porta-voz, Sarkozy disse que essa ação do site foi "o último grau de irresponsabilidade".

AE, Agência Estado

30 de novembro de 2010 | 10h43

O líder francês condenou a divulgação dos documentos durante a reunião semanal de seu gabinete, disse o porta-voz François Baroin. Ontem, o escritório da presidência em Paris não quis comentar os papéis vazados, nos quais Sarkozy é retratado por um diplomata dos EUA como uma pessoa que se irrita facilmente e é "autoritário".

Entre os documentos que podem trazer embaraços à França há um em que um graduado assessor de Sarkozy ataca o presidente da Venezuela, Hugo Chávez, chamando-o de "maluco", além de afirmar que o Irã é um "Estado fascista".

O Ministério das Relações Exteriores da França condenou ontem a divulgação dos documentos como "um ataque à soberania dos Estados". A secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, qualificou o vazamento como um "ataque" aos EUA e ao mundo. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.