Sarkozy defende armas de alta tecnologia e espionagem

O presidente da França, Nicolas Sarkozy, defendeu hoje que os gastos militares de seu país se concentrem em armas de alta tecnologia e nos serviços de espionagem. Os comentários do líder francês foram feitos durante a revisão de tropas, realizada anualmente como parte das celebrações do Dia da Bastilha. A cerimônia deste ano tem os líderes da Índia e da Alemanha como convidados de honra de Sarkozy.

AE-AP, Agencia Estado

14 de julho de 2009 | 09h32

A França celebra o aprofundamento das relações com a Índia e o deslocamento de soldados alemães em solo francês como parte do retorno de Paris à estrutura de comando da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). Uma multidão aplaudia enquanto soldados indianos e alemães marchavam ao lado de algumas das mais modernas unidades militares francesas nos Campos Elísios e aviões de combate sobrevoavam Paris. Sarkozy e sua esposa, Carla Bruni, cumprimentaram crianças feridas em guerras no exterior e levadas à França para tratamento.

Tudo o que sabemos sobre:
FrançadefesamilitarespionagemFrança

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.