Pascal Pochard-Casabianca/AFP
Pascal Pochard-Casabianca/AFP

Sarkozy descarta possível aliança com Frente Nacional

Presidente disse que não abrirá seu novo governo a membros do partido de extrema-direita

AE, Agência Estado

20 de abril de 2012 | 09h55

PARIS - O presidente francês, Nicolas Sarkozy, que no domingo disputará um segundo mandato de cinco anos, disse nesta sexta-feira, 20, que, caso seja reeleito, não abrirá seu novo governo a membros do partido de extrema-direita Frente Nacional.

 

Veja também:

blog Cinco pesquisas apontam vitória de Hollande

blog ANDREI: 'Esperança contra o medo' opõe candidatos

linkSarkozy acusa imprensa de favorecer rivais

tabela ESPECIAL: Eleições na França 2012

 

A apenas dois dias das urnas, Sarkozy precisa conquistar votos dos dois extremos do espectro político para tentar derrotar o candidato socialista, François Hollande, que aparece em primeiro nas últimas pesquisas de opinião para o primeiro turno da eleição presidencial.

 

Ao ser eleito, em 2007, Sarkozy convidou políticos esquerdistas para integrar seu governo. Ao ser perguntado se hoje faria o mesmo com a extrema-direita, o presidente respondeu que não e que buscaria governar com "gente comprometida com uma política de reformas".

 

Sem dar mais detalhes, Sarkozy também prometeu introduzir "três ou quatro fortes reformas" além de "fortes iniciativas" no âmbito internacional antes do fim do ano.

 

As informações são da Dow Jones

 

 

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.