Sarkozy diz que ameaça terrorista é real na França

A ameaça terrorista hoje é "real" na França, embora "não seja maior que ontem", manifestou nesta quinta-feira, 12, o candidato conservador ao Palácio do Eliseu e ex-ministro do Interior, Nicolas Sarkozy, no dia seguinte aos atentados de Argel e dez dias antes do primeiro turno das eleições presidenciais."A principal ameaça terrorista da França vem da Argélia, das redes que antes se chamavam GSPC (Grupo Salafista pela Pregação e o Combate), que têm conexões em alguns países, entre eles a França", disse à rádio Europe 1.Sarkozy afirmou que "é preciso estar muito atento" em relação a essa ameaça, ao ser perguntado sobre a possibilidade de um atentado durante o período eleitoral na França."Seria perfeitamente inconsciente pensar que o que aconteceu em Nova York, Madri e Londres não possa acontecer conosco", afirmou Sarkozy, após lembrar que no ano passado foram detidas 138 pessoas na França relacionadas com assuntos terroristas, além de 32 este ano.Na sua opinião, "é preciso apoiar a Argélia, ajudar o país a se desenvolver e a travar uma luta sem quartel contra as redes terroristas".Sarkozy manifestou que os atentados da véspera em Argel "vão permitir a cooperação ainda melhor com os argelinos".Lembrou que há três meses esteve em Argel para conseguir a lista dos "1.500 a 2.000 detidos islamitas libertados pelo regime argelino em nome da reconciliação nacional, após os eventos dos anos 90"."Estava inquieto pelo fato de que a metade dos detidos que tinha sido libertada não se submetia ao controle judicial que tinha sido imposto", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.