Sarkozy diz que deixará política se perder eleição

Prestes a concorrer à reeleição, em abril, o presidente da França, Nicolas Sarkozy, admitiu a jornalistas em uma conversa "off the record" a hipótese de derrota e afirmou que abandonará a vida política se a possibilidade se confirmar. "Em caso de fracasso, eu abandono a política. É uma certeza", disse. "De toda forma, estou cansado. Pela primeira vez na minha vida, confronto-me com o fim de minha carreira."

PARIS, O Estado de S.Paulo

25 de janeiro de 2012 | 03h05

Segundo alguns dos jornalistas presentes, Sarkozy teria feito as declarações com a intenção de mostrar aos franceses que não tem apego ao seu cargo.

Questionado sobre como seria sua vida após a política, Sarkozy fez piada: "Será menos interessante, mas muito mais agradável", disse aos jornalistas.

Alain Juppé, chanceler de Sarkozy, tentou abafar as declarações do presidente. "Estive com ele por uma hora e meio hoje (ontem) e não tive essa sensação (de que ele abandonará a política)".

Os comentários de Sarkozy foram feitos dois dias depois de o candidato do Partido Socialista (PS), François Hollande, ter lançado sua campanha. Mais de 10 mil pessoas participaram do evento do PS em Le Bourget, que recebeu ampla atenção da imprensa francesa.

De acordo com institutos de pesquisa, Hollande tem cerca de 27% a 30% da preferência do eleitorado, enquanto o atual presidente tem 23% e disputa a segunda colocação com a candidata da extrema direita, Marine Le Pen, com 21%. / A.N.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.