Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Sarkozy leva campanha por liberdade de Ingrid a encontro com Bento XVI

O presidente francês, Nicolas Sarkozy reuniu-se ontem, no Vaticano, com o papa Bento XVI para uma conversa de 25 minutos sobre diversos temas - incluindo a questão dos reféns mantidos pela guerrilha Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc). "Particular atenção foi dedicada à situação internacional, ao futuro da Europa, aos conflitos no Oriente Médio, aos problemas sociais e políticos de alguns países africanos e ao drama dos seqüestrados", informou a nota oficial emitida pelo Vaticano.Desde que assumiu a presidência francesa em maio, Sarkozy está empenhado pessoalmente em tentar resolver o problema dos reféns colombianos e conseguir a libertação da ex-candidata presidencial colombiana Ingrid Betancourt, que também tem cidadania francesa.O líder francês comprometeu-se a cumprir "todos os gestos necessários" para conseguir que as Farc soltem Ingrid, seqüestrada desde fevereiro de 2002.Bento XVI fez, em diversas ocasiões, apelos públicos pela libertação dos reféns. Ele reiterou a proposta da Igreja colombiana para a criação de uma "zona de encontro" onde se pudesse negociação de um acordo humanitário entre a guerrilha e o governo da Colômbia.RELATÓRIO DE INTELIGÊNCIAO presidente colombiano, Álvaro Uribe, afirmou ontem que seu governo entregou à França relatórios de inteligência sobre os reféns que estão sob domínio das Farc. "Conseguimos umas informações de inteligência importantes sobre o tema que ainda não conseguimos comprovar, mas as apresentamos mesmo assim ao governo da França", afirmou Uribe. O presidente não deu mais detalhes sobre o relatório.AP E AFP

Cidade do Vaticano, O Estadao de S.Paulo

20 de dezembro de 2007 | 00h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.